18 de outubro de 2019

Fisioterapia

FISIOTERAPIA ORTOPÉDICA E TRAUMATOLÓGICA.

É uma das áreas da fisioterapia que atua diretamente em alterações morfológicas, cinéticas e funcionais das articulações, do sistema muscular, ósseo e na interação entre eles, é uma especialidade na área da reabilitação associada a um conceito de saúde, bem-estar físico, psíquico e social.  Dentre a ampla gama de subespecialidades, a fisioterapia trabalha desde uma simples lesão até uma desordem complexa, auxiliando o indivíduo a conquistar uma independência funcional e melhora na qualidade de vida.

Um dos pilares da fisioterapia é a CINESIOTERAPIA (exercícios terapêuticos) além da utilização de equipamentos para auxiliar no tratamento e na recuperação cinético funcional.

Perguntas Frequentes

Fisioterapia é a ciência que estuda, diagnostica, previne e recupera pacientes com distúrbios relacionados aos movimentos e as funções do corpo humano. Estuda profundamente a aplicação de meios físicos como a água, a eletricidade, o calor e os exercícios físicos como forma de prevenção e tratamento. Tem todo o seu tratamento apoiado em evidências científicas para oferecer ao paciente apenas modalidades de tratamento e protocolos comprovadamente eficazes.

Tem por objetivo melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas e colaborar para uma sociedade mais saudável e com mais conhecimento sobre saúde de uma maneira geral.

Trabalha com doenças geradas por alterações genéticas, traumas ou enfermidades adquiridas. O fisioterapeuta é o profissional responsável por avaliar e diagnosticar disfunções mecânicas funcionais, além de elaborar um tratamento específico afim de preservar, manter, desenvolver ou restaurar (reabilitação) a integridade de órgãos, sistemas ou funções de acordo com a individualidade de cada paciente.

Todas as pessoas podem beneficiar-se de técnicas e recursos terapêuticos estando elas com dores ou não. Nem sempre é necessário a indicação médica para iniciar um acompanhamento, porém o tratamento de doenças e alterações músculo esqueléticas deve ser trabalhado em conjunto com outro(s) profissional (ais).

Atualmente o fisioterapeuta atua em 3 frentes.

1° Prevenção: evitar lesões e manter um acompanhamento funcional do organismo afim de melhorar suas funções.

2° Curativo: aliviar os sintomas de uma lesão já existente e reestabelecer as funções que foram alteradas devido a essa lesão.

3° Reabilitação: tratar pós-operatórios, lesões agudas e crônicas que por um período de termo impede o paciente de executar as suas funções, tornando então um tratamento de retorno a função.

Em nossa clínica atuamos nas áreas de fisioterapia Ortopédica e esportiva, fisioterapia em Osteopatia e Microfisioterapia.

 

 

 

O CPM é um equipamento que permite a movimentação passiva contínua dos membros, tendo como objetivo reabilitar as articulações e os tecidos periarticulares por meio do movimento onde a velocidade e o grau de flexão e extensão são regulados, de acordo com a área trabalha e a lesão que está sendo tratada. O movimento da articulação é realizado pela força do aparelho, feito de forma passiva, ou seja, sem a participação do paciente.

Benefícios:

  • Prevenção de rigidez articular e muscular;
  • Maior rapidez na recuperação do movimento no pós-operatório;
  • Maior rapidez de cura, tanto na cartilagem articular quanto nos tendões e ligamentos;
  • Manutenção de maior amplitude dos movimentos articulares;
  • Redução do tempo de hospitalização, da dor e do inchaço;
  • Diminuição do ciclo de inflamação, do trauma e da perda de movimento;
  • Redução do risco de trombose após a cirurgia;
  • Redução do risco de osteopenia pós-traumática.

Indicações:

  • Pós-operatório de cirurgia no joelho, quadril, cotovelo, punho e dedos da mão;
  • Limitação persistente de movimento articular;
  • Rigidez articular;
  • Após fraturas e traumas.

A eletroterapia é um recurso fisioterápico utilizado na reabilitação dos mais diversos tipos de patologias. São utilizadas correntes elétricas de baixa intensidade através de eletrodos que são aplicados diretamente na pele. A eletroterapia tem como objetivo principal ajudar no processo de reabilitação do paciente.

É um tratamento que pode ser usado na grande maioria dos pacientes com poucas contraindicações, é um método não invasivo, não apresenta efeitos colaterais e é totalmente seguro.

Benefícios:

  • Auxilia na regeneração dos tecidos;
  • Estimula a cicatrização óssea em fraturas;
  • Melhora o desempenho muscular.

Indicações:

  • Controle da dor;
  • Diminuição do edema;
  • Relaxamento muscular;
  • Diminuição de contraturas musculares;
  • Auxilio no fortalecimento muscular.

Cuidados e Contra indicações:

  • Gestantes
  • Uso de marca-passo
  • Doença vascular periférica
  • Hipertensos e hipotensos descompensados
  • Neoplasias
  • Processos infecciosos
  • Região de seio carotídeo
  • Região torácica
  • Nervo frênico
  • Os eletrodos devem ser sempre utilizados com gel (não necessário no caso de eletrodos autoadesivos);
  • Os eletrodos precisam estar sempre bem presos na pele;
  • Nunca retirar o eletrodo da pele com o aparelho ligado;
  • Aumentar a intensidade aos poucos.

A terapia através do aparelho de ondas curtas é a aplicação de energia eletromagnética ao corpo. Essa energia é convertida em energia térmica, ou seja, em calor profundo, proporcionando um aquecimento significativo na área do corpo a ser tratada. Por essa razão, o tratamento é frequentemente chamado de diatermia de ondas curtas, ou seja, tratamento por meio do aquecimento.

Efeitos:

  • Alivio de dor
  • Relaxamento da musculatura
  • Estimula a reparação celular

Indicações para utilizar:

  • Processos inflamatórios
  • Bursite
  • Tendinite
  • Lombalgia
  • Cervicalgia
  • Dorsalgia
  • Tenossinovite
  • Epicondilite
  • Miosite
  • Capsulite adesiva
  • Contusões e Entorses
  • Sinovite
  • Osteoartrite
  • Mialgia

Contra indicações e cuidados:

É importante lembrar que antes de uma sessão de diatermia, o paciente deve remover:

  • Todas as joias, bijuterias e acessórios contendo metal;
  • Vestuário que inclui artigos de metal, como zíperes ou botões.
  • Evitar cruzamento de fio e contato de fios com o beneficiário.
  • Útero gravídico
  • Epífise de crescimento
  • Tecidos tratados com radiação
  • Áreas neoplásicas
  • Trombose venosa profunda
  • Aterosclerose severa
  • Área cardíaca
  • Implante metálico
  • Área próxima aos ouvidos, olhos e crânio
  • Área com déficit sensitivo ou alterações circulatórias
  • Sobre testículos e ovários
  • Infecção aguda

O ultrassom é um recurso utilizado na Fisioterapia, é uma modalidade de penetração profunda, capaz de produzir alterações nos tecidos, por mecanismos térmicos e não térmicos. São ondas sonoras mecânicas longitudinais de alta freqüência.

Efeitos em geral do ultrassom:

  • Analgesia (melhora da dor);
  • Efeito antiinflamatório;
  • Cicatrização;
  • Melhora oxigenação tecidual;

Orientações para preparação do paciente:

  • Verificar se não há contra-indicações;
  • Determinar o método e o modo de aplicação de ultrassom a serem utilizados durante o tratamento;
  • Explicar as sensações que poderão surgir durante o tratamento. Durante a aplicação do ultrassom no modo continuo, poderão surgir sensação de calor, leve a moderada (mas sem dor ou queimadura). Não deve ocorrer sensação de subcutânea durante a aplicação do ultrassom em modo pulsado. Informe o paciente que ele deve avisar sobre quaisquer sensações inesperadas;

Indicações:

  • Contraturas articulares;
  • Espasmo muscular;
  • Tecido cicatricial;
  • Distúrbios do sistema nervoso simpático;
  • Pontos gatilho;
  • Verrugas;
  • Espasticidade;
  • Redução pós aguda de miosite ossificante;
  • Condições inflamatórias agudas;
  • Condições inflamatórias crônicas.

Contra – indicações:

  • Alterações de sensibilidade;
  • Crianças;
  • Globo ocular;
  • Zona pré-cordial ( região do coração);
  • Sínteses metálicas;
  • Tumores (no local);
  • Tendência a hemorragia;
  • Áreas ao redor do crânio e genitália

 

Na fisioterapia é utilizado um laser de baixa frequência, que não aquece a área de aplicação. É uma luz com efeito terapêutico, com potencia relativamente baixa para o tratamento de feridas abertas, lesões de tecidos moles, processos inflamatórios e dores associadas a várias etiologias.

Efeitos terapêuticos:

  • Efeito anti-inflamatório;
  • Efeito analgésico;

Indicações na fisioterapia:

  • Laserterapia em cicatrização de feridas – O laser de baixa frequência vem obtendo bons resultados em termos de velocidade de cicatrização e redução de dor.
  • Laserterapia em lesões musculares e tendinopatias –  O laser de baixa frequência estimula a regeneração muscular, favorecendo o reparo muscular.
  • Laserterapia na dor – Promove um efeito analgésico, aumentando o fluxo sanguíneo.
  • Laserterapia no pós- cirúrgico – O laser de baixa frequência produz efeito de analgesia e cicatrização de incisão pós-cirúrgica.

Contra-indicações:

  • Olhos;
  • Tumores;
  • Medicamentos fotossensíveis;

Algumas precauções a serem tomadas:

  • Portadores de marca-passos
  • Problema cardíacos
  • Hipertireoidismo
  • Mulheres grávidas

 

FISIOTERAPIA ESPORTIVA

É a especialidade da fisioterapia, que cuida diretamente da saúde de atletas, amadores e profissionais. Sejam ou não atletas profissionais, os praticantes de esportes utilizam seu organismo de forma mais intensa do que as pessoas que não praticam atividades físicas regularmente, por isso é comum estarem mais suscetíveis a lesões sejam elas, agudas ou por sobrecarga.

Alguns dos objetivos são: prevenir e tratar lesões causadas pelo excesso de treinos, manter o atleta e praticante em atividade e auxiliar na melhora da performance. Para isso, uma das ferramentas mais valiosas do fisioterapeuta é a avaliação biomecânica funcional usada para diagnosticar alterações mecânicas funcionais e assim direcionar o melhor tratamento ao paciente de forma individualizada.

Nas frentes de atuação da fisioterapia esportiva, temos o trabalho de prevenção e propriocepção, tratamento curativo, recovery, tratamento pré e pós-operatórios e retorno esportivo adequado a cada modalidade.

× Agendar Consulta