Fisioterapia na Síndrome Impacto Femoroacetabular (SIFA)

Segundo o consenso internacional (Warwick 2016) define-se como Síndrome Impacto Femoroacetabular (SIFA) a condição na qual a cabeça femoral ou acetabulo não se encaixam adequadamente por uma alteração morfológica.

Existem 3 tipos de alterações:

  • CAM: aumento da formação óssea na cabeça do fêmur.
  • PINCER: aumento da formação óssea acetabular.
  • MISTO: CAM + PINCER

Essas alterações levam ao contato femoroacetabular patológico que origina forças de impacto e cisalhamento durante os movimentos do quadril. Em consequência, há lesão labral e artrose precoce.

Seu diagnóstico é embasado por uma tríade de achados: sintomas, sinais clínicos e exames de imagens.

Principais sinais e sintomas são:

  • dor relacionada ao movimento ou posição do quadril/virilha em amplitudes máximas. (Ex: ficar muito tempo sentado, dor ao praticar esportes que exigem flexão exagerada do quadril…)
  • sensação de bloqueio, rigidez e limitação da amplitude de movimento do quadril.
  • dor interna não palpável e em formato de “C”
  • dor irradiada na lateral ou posterior/glúteo.

* teste ortopédico feito para auxiliar no diagnóstico, é FADURI (flexão, adução e rotação interna de quadril)

E o tratamento mais comum é o conservador, mas também existem casos cirúrgicos.

No conservador, temos a fisioterapia que após uma avaliação completa, atuará, principalmente, com exercícios de estabilidade articular (fortalecimento) e controle neuromuscular.

Vale ressaltar que não há relatos sobre abordagens isoladas e melhores resultados.

Todo paciente deve passar por uma avaliação específica e entender a sua necessidade. Procure seu Ortopedista e seu Fisioterapeuta.

× Agendar Consulta